Projeto + Vida - Qualidade de Vida de A à Z

Escrito por Amarildo R. Ferrari.

1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO

Nome: “Projeto + Vida - Qualidade de Vida de A à Z”
Autora: Tatiana Reis
Linha Temática: Educação Ambiental

Palavras-chave: Educação Ambiental, Qualidade de Vida; Meio Ambiente; Esporte; Saúde; Cidadania.


Local de execução: Academia Aquacenter Batel e áreas de influência (Bairro Santa Quitéria, Município de Curitiba - Paraná - Brasil).


Duração (1ª Fase): 10 meses


Público-alvo: alunos, professores e funcionários da academia e seus amigos e parentes.


2. APRESENTAÇÃO

O projeto “+ VIDA” pretende fundamentalmente despertar nas pessoas um sentimento de responsabilidade universal, uma noção ampla sobre bem comum que o mundo moderno demonstra conhecer muito pouco. A participação nas diversas atividades do projeto irá auxiliar os envolvidos a desenvolverem capacidade suficiente para cumprirem seu papel de cidadania na sociedade e identificarem-se como peça-chave na busca por um equilíbrio ecológico compatível com a presença da espécie humana na Terra. Assim, todos terão a oportunidade de adquirirem uma boa qualidade de vida.

A mudança de pensamento e, conseqüentemente, de atitudes dependem não só do conhecimento adquirido, mas da habilidade e da vontade para colocar este conhecimento em prática. Foram desenvolvidas atividades que irão trabalhar muito com a sensibilidade e com a emoção que há muito são utilizadas para estimular a curiosidade e o interesse pelo aprendizado. A partir desta receptividade aguçada, a transmissão das informações e conceitos teóricos será facilitada.
Por se tratar de um assunto amplo, complexo e que repercute em grandes discussões, projetos na área de Meio Ambiente precisam ser planejados e executados de forma muito peculiar, com ações direcionadas e adequadas ao público-alvo, de forma que os resultados alcançados sejam promissores e significativos. Diante isso, a utilização de recursos acessíveis e linguagem de fácil entendimento somados à técnicas de contextualização e interdisciplinaridade são estratégias exclusivas que o projeto “+ VIDA” vem a apresentar. Além disso, o enfoque que será dado à questão da melhoria da qualidade de vida de cada indivíduo será uma estratégia eficiente para cativar o público-alvo, que caracteristicamente preza por uma vida mais saudável e feliz.
Esta é uma iniciativa tímida em relação à urgência da união de esforços para evitar que as condições do meio ambiente ultrapassem os limites sustentáveis – o que já está sendo anunciado. Entretanto, é um projeto inovador que poderá ser adaptado e executado em outras academias e em outros tipos de estabelecimento onde conceitos sobre meio ambiente geralmente não são incorporados às atividades rotineiras, mas deveriam ser.

2.1 Resumo do projeto

O projeto “+ Vida” é um projeto de Educação Ambiental que visa envolver um número cada vez maior de pessoas na luta pela preservação da vida como um todo. Serão realizadas atividades de sensibilização, informação e mobilização. Inicialmente, o projeto irá atingir cerca de 500 pessoas, direta ou indiretamente, dependendo do seu grau de participação nas atividades desenvolvidas que compreendem palestras, dinâmicas, gincanas, apresentação de vídeos e peça teatral além de ações como reuniões com professores e funcionários, distribuição de cartazes, cartilhas e revistas e troca de experiências pessoais. Foram estabelecidas 12 metas a serem cumpridas durante os primeiros 10 meses de execução do projeto (Fase 1). Cada meta alcançada será um indicador de avaliação geral do projeto e dos resultados obtidos, onde serão identificados parâmetros quantitativos e qualitativos. A partir dos resultados obtidos durante esta primeira fase de execução do projeto “+ Vida”, dar-se-á prosseguimento para o planejamento e execução da Fase 2 que consistirá basicamente no mesmo projeto com alguns aprimoramentos e alterações caso necessário.

3. OBJETIVOS


3.1 Objetivo Geral

Integrar a Educação Ambiental no cotidiano da academia Aquacenter Batel contribuindo para a consolidação de uma consciência ecológica a todos que a freqüentam, incentivando-os e capacitando-os a adotarem posturas ambientais adequadas que promovam a melhoria da qualidade de vida das pessoas e das condições ambientais.

3.1 Objetivos Específicos

  • Ampliar o repertório de conhecimentos básicos do público-alvo sobre meio ambiente;
  • Demonstrar a importância dos serviços ecológicos para o equilíbrio ambiental, inclusive e principalmente para a vida humana;
  • Apresentar os principais problemas ambientais que estão tendo lugar no mundo nos dias de hoje, dando enfoque especial para os problemas locais;
  • Enfatizar a necessidade de cada cidadão em contribuir e demonstrar o papel de cada cidadão na defesa e preservação dos recursos naturais;
  • Estimular a adoção de atitudes cotidianas adequadas para evitar a exploração excessiva e o desperdício dos recursos naturais;
  • Discutir e atentar o público-alvo sobre problemas ambientais da comunidade local;
  • Incentivar os educandos a serem propagadores de conhecimentos e de práticas sustentáveis em relação ao Meio Ambiente, em sua família, escola e comunidade;
  • Auxiliar na formação de cidadãos éticos, responsáveis e atuantes no meio sócio-ambiental, levando-os a identificarem-se como agentes fundamentais de mudança para uma sociedade mais sustentável.
4. JUSTIFICATIVA

Quanto mais pessoas engajarem-se na defesa do ambiente, maior será a possibilidade de mudança do atual quadro de degradação ambiental. Atualmente, a falta de pessoas com este perfil é principalmente devido ao desconhecimento sobre as causas e efeitos de suas próprias ações e de como ou que fazer para contribuir.
A busca de informações, conceitos e princípios sobre meio ambiente está, em geral, vinculada a pessoas que estudam ou trabalham na área ambiental ou que, a este, sua profissão e modo de vida estão de alguma forma condicionados, como as populações tradicionais. Desta forma, não basta que a Educação Ambiental seja trabalhada apenas na escola, em eventos comemorativos e esparsos ou no meio científico. É preciso que o acesso à informação seja mais abrangente, profundo e contínuo, pois cada indivíduo exerce influência significativa no rumo dos acontecimentos.
Embora o local de execução do projeto seja potencialmente um espaço onde se encontram determinadas condições para adquirir qualidade de vida, estas condições não podem se limitar apenas a uma determinada área, um ponto da cidade. Além disso, qualidade de vida envolve muitos aspectos, não só condicionamento físico. De nada adianta a prática de esportes se esta não for acompanhada de uma alimentação saudável, por exemplo. É igualmente infrutífero freqüentar um espaço que proporciona momentos de lazer e saúde se, ao sair dali, os benefícios adquiridos forem malogrados por poluição, doenças, má qualidade ou falta de água e de alimentos, estresse e outros problemas oriundos da degradação do meio ambiente e das dificuldades enfrentadas pela sociedade.
Diante destas considerações, o projeto “+ Vida” irá dedicar-se intensamente para contornar estas situações, uma vez que a divulgação de informações sobre como alcançar uma sadia qualidade de vida global – partindo do indivíduo – será uma constante nos espaços da academia.

5. CARACTERÍSTICAS DO PROJETO

5.1 Cenário

Este projeto irá se desenvolver nas dependências e entorno do complexo esportivo Aquacenter Batel que está localizada no bairro do Seminário, município de Curitiba - Paraná. Trata-se de uma academia que oferece diferentes modalidades de treinamento esportivo, com aulas de musculação, hidroginástica, artes marciais, yôga, ginástica localizada e natação, dentre outras. Sua estrutura física conta com lanchonete, amplo estacionamento, sauna, piscinas térmicas, banheiros e áreas específicas para o desenvolvimento de cada atividade esportiva. A academia também mantém uma parceria com uma escola de mergulho que oferece cursos de diferentes níveis deste esporte.
O espaço é considerado pelos administradores e equipe de professores como um verdadeiro “Centro de Qualidade de Vida”, pois proporciona a todos um ótimo ambiente físico, social, de saúde e bem estar. Além disso, há uma preocupação constante e crescente com a satisfação de seus clientes, por isso a Aquacenter Batel procura sempre manter seus serviços e estrutura física adequados, como a garantia de qualificação dos professores, equipamentos em ótimo estado e relações humanas harmônicas.
O principal problema ambiental associado a este local é a inexistência de programas que estimulem a adoção de atitudes favoráveis à preservação do meio ambiente. Como exemplo, nota-se que considerável quantidade de resíduos é gerada nas dependências da academia. Existem coletores apropriados, mas estes só estão disponíveis na área da cantina e não há um acompanhamento do descarte ou incentivos pra uma separação eficaz. O desperdício de água também poderá ser minimizado.

5.2 Público-alvo

A população que freqüenta o local tem características bastante variadas, inclusive em relação à sua faixa etária, que abrange todas as fases de vida de um indivíduo: bebês, crianças, adolescentes, adultos e terceira idade. São pessoas de diferentes classes sociais e que atuam em áreas profissionais diversas. O fato de freqüentar uma academia de ginástica ou de prática de esportes pode caracterizar o público-alvo como um grupo de pessoas que procura finalidades muito diferentes, mas pode-se dizer que, para a maioria, a principal delas é a de obter uma vida mais saudável fisicamente.
Os beneficiários diretos do projeto serão todos os alunos que freqüentam a academia, desde as crianças até os indivíduos da terceira idade. Os alunos da capoeira serão envolvidos de forma particular, pois além de participarem das atividades comuns a todos os alunos, estarão engajados em determinadas ações que fazem parte da execução de etapas posteriores associadas ao projeto.
Serão beneficiadas indiretamente todas as pessoas que têm alguma relação com os alunos além de outras, que poderão ser incluídas no projeto ao longo de seu desenvolvimento, principalmente por iniciativas desenvolvidas pelo próprio público-alvo.

5.3 Metodologia

O projeto irá dedicar muita atenção a um grupo restrito de pessoas e de uma maneira muito intensa. Isto por que, ao invés de procurar diversos pontos que seriam o alvo de diferentes ações e buscando atingir um grande número de pessoas em um curto espaço de tempo, o projeto terá início em um local específico (a academia Aquacenter Batel). Aos poucos, outros pontos do entorno serão atingidos – sempre tendo aquele ponto como referência – e irá abranger progressivamente mais e mais pessoas. A idéia central desta metodologia é o que acontece com as vibrações em um lago após um estímulo físico (fig.1).


Antes do início da execução, propriamente dito, das atividades com o público-alvo, será feito um diagnóstico sócio-ambiental da academia como um todo, para verificar as rotinas, a estrutura física, os espaços disponíveis para as atividades e os valores percebidos e já incorporados por cada indivíduo. Para este diagnóstico serão utilizados dois recursos: observação in loco e aplicação de questionários.
Um questionário será direcionado a uma amostra significativa do público-alvo para identificar o seu nível de conhecimento e interesse em relação a diferentes questões ambientais. Este questionário também irá abrir um espaço para sugestões de temas a serem abordados, onde as maiores demandas serão incorporadas nas atividades do projeto.
Sendo o público-alvo escolhido para este projeto extremamente diverso, serão realizadas diferentes atividades, adequadas para lidar com cada público. Com as crianças, por exemplo, serão realizadas dinâmicas, brincadeiras e apresentação de teatro infantil. Já com os adultos, palestras interativas e educativas e leitura e interpretação de textos e cartazes são as principais atividades desenvolvidas. Outros exemplos de atividades do projeto são: debates, apresentação de vídeos, gincanas, leitura de revistas. Este projeto é colaborativo. Assim, outras atividades poderão ser desenvolvidas ao longo de sua execução, pois neste período, a equipe executora e o público-alvo irão trocar experiências, informações e idéias que potencialmente irão resultar em novas parcerias e subprojetos.
O tipo de estabelecimento no qual este projeto será realizado faz com que o tempo e a atenção dos alunos, bem como os espaços disponíveis, sejam relativamente restritos para integrar atividades de Educação Ambiental da forma convencional. Muitos alunos e professores podem dispor de um tempo adicional para atividades não esportivas, mas outros podem ter motivos diversos que dificultem ou até impossibilitem esta participação. Para superar estes e outros desafios, foram desenvolvidas algumas estratégias de trabalho.

Estratégia 1. Cada modalidade esportiva é realizada em uma determinada área dentro da academia e em cada uma delas as atividades de Educação Ambiental serão desenvolvidas de uma forma específica:
  • Área de Musculação
Para os alunos que praticam musculação, as aulas sempre consistem de 3 etapas fundamentais (em ordem variada): alongamento, exercícios aeróbicos e séries de repetições de exercícios com pesos. Durante o alongamento os alunos poderão ler as informações disponíveis em cartazes fixados nas paredes da sala, que estarão distribuídos também em outras dependências da academia. Durante os exercícios aeróbicos, os alunos poderão ora ler revistas, quando estiverem na bicicleta (apoiando a revista no colo ou no próprio aparelho), ora assistir televisão, se eles estiverem na esteira, stepper ou elíptico (nestes aparelhos é praticamente inviável ler devido à forma de sua utilização). Durante os exercícios de musculação propriamente ditos, nenhuma atividade de Educação Ambiental será realizada.
Serão escolhidos durante cada mês, por meio de votação dos próprios alunos, professores e funcionários, 7 dias exclusivos para a realização de atividades de Educação Ambiental paralelas às atividades de musculação. Nesta área da academia e durante os dias escolhidos – que poderá ser um dia seguido do outro, ou seja, durante uma semana corrida – estarão disponíveis respectivamente para leitura e para visualização na televisão, somente artigos e programas que tratam sobre questões relacionadas ao meio ambiente.
As revistas e os programas de televisão serão disponibilizados por parceiros na forma de doação ou empréstimo. Tanto revistas especializadas como revistas convencionais que têm sessões exclusivas para assuntos ambientais serão úteis para o projeto. O mesmo vale para programas de mídia. Serão úteis quaisquer revistas e programas datados a partir do ano 2000. Os artigos de revistas serão organizados em uma pasta com capa e índice, respectivamente para conservar o material e facilitar a leitura.
  • Área das piscinas
Esta área é muito úmida, portanto, nenhum material impresso será utilizado para as atividades do projeto. Entretanto, desenvolveram-se algumas estratégias para divulgar conceitos e informações sobre as questões ambientais. Assim como na área de musculação, estas atividades serão desenvolvidas em apenas 7 dias durante cada mês, também escolhidos pelos próprios alunos e professores. A seguir uma breve descrição destas estratégias:

1. Nas aulas de natação serão dedicados 5 minutos de cada aula para uma reflexão sobre questões ambientais: O professor irá ler durante este tempo, textos e frases que tratam sobre meio ambiente e Educação Ambiental. Pode ser parte de uma notícia, um conto, uma frase sensibilizadora ou informações básicas em geral.


2. Dinâmicas de sensibilização serão realizadas com as crianças dentro e fora da piscina.


3. As aulas de hidroginástica são sempre acompanhadas de músicas. Nos dias determinados, as músicas utilizadas durante as aulas serão músicas que falam sobre meio ambiente ou valores humanos importantes de serem trabalhados para que as pessoas formem uma consciência ética. A letra e o significado das músicas serão disponibilizados na recepção para aqueles interessados.

Posteriormente, a equipe executora entrará em contato com os alunos para que estes apresentem suas conclusões sobre as atividades que participaram.
  • Área das Artes Marciais
Nesta área não há problemas em fixar cartazes, porém, é uma área que tem pouco espaço físico. Desta forma, serão fixados por determinado período, no máximo dois cartazes educativos e uma reportagem ou artigo por vez.
É nesta área que se encontra parte do público-alvo que será envolvido com um trabalho diferenciado: os alunos da capoeira. Porém, as atividades desenvolvidas nesta área também serão restritas devido ao fato de que antes e após as aulas desta modalidade esportiva são realizadas outras, como de Yôga e Karatê. Desta forma, o trabalho a ser desenvolvido com os alunos da capoeira será um projeto paralelo (Estratégia 4).
  • Áreas comuns
Compreendem os vestiários masculinos e femininos, a área da cantina, os corredores entre os diversos setores da academia, o hall de entrada, as salas de ginástica e de reunião e o estacionamento. As palestras e os debates serão realizados nas salas de reunião. Já a peça teatral será apresentada no estacionamento e a gincana irá se desenvolver em todas as áreas da academia em um dia determinado. As dinâmicas de sensibilização serão realizadas nas áreas comuns conforme a necessidade e a demanda. Por exemplo, a dinâmica para as crianças com enfoque do tema “Água” será desenvolvida na área das piscinas.

Estratégia 2. As palestras, a peça teatral, as dinâmicas e os debates serão gratuitos, como forma de incentivar os alunos a participarem. Será sugerido que os alunos doem alimentos, roupas e/ou brinquedos para o projeto, que posteriormente serão distribuídos em um evento específico para instituições carentes. Esta parte social do projeto lhe dá um caráter de importância fundamental, pois coloca em pauta valores como solidariedade, respeito à diversidade e inclusão social.

Estratégia 3. Todas as atividades serão baseadas nas principais necessidades apresentadas pelo público-alvo, identificadas no diagnóstico concebido na fase inicial de execução do projeto. Conforme as atividades forem se desenvolvendo, um diagnóstico semelhante será feito para avaliar a receptividade e aproveitamento do projeto, onde os envolvidos poderão expor suas críticas e sugestões.
Uma vez que a população que freqüenta o local onde o projeto será desenvolvido preza por uma vida mais saudável, todas as “chamadas” para as atividades farão relação com a questão da saúde e da qualidade de vida das pessoas, estimulando-as a participarem para que elas possam alcançar esta qualidade de vida de uma forma cooperativa com seus semelhantes e de forma mais facilitada.

Estratégia 4. Os alunos da capoeira serão envolvidos de uma forma diferente dos demais. As atividades desenvolvidas com este público-alvo serão extendidas para um período e local extra-academia. Isto por que a capoeira é uma manifestação cultural que apresenta características peculiares. Basicamente, o professor e os alunos fazem parte de um grupo, com identidade própria e que não se limita a apenas um local da cidade para as atividades, existindo uma rede de locais onde o grupo atua. Desta forma algumas ações de Educação Ambiental serão aplicadas às comunidades que este grupo atende de forma experimental. Entretanto, algumas ações serão contabilizadas como parte integrante deste projeto, mesmo se executadas fora das dependências da academia.

Estratégia 5. O projeto “+ Vida” irá trabalhar muito com valores humanos e espirituais, além dos ambientais. Pessoas como Ghandi, Osho, Jung e Dalai Lama (dentre os mais conhecidos) deram contribuições muito importantes neste sentido e muitas de suas idéias serão transmitidas para o público-alvo com muito vigor durante a execução do projeto.

Estratégia 6. Informar sobre as ameaças que o Planeta está sujeito é fundamental para alertar as pessoas do que pode vir a acontecer se não mudarmos urgentemente nosso modo de vida atual. Por outro lado, carregar a mente das pessoas somente e com muitas informações tristes sobre a destruição da Terra pode levá-las ao conformismo e, conseqüentemente, ao não agir. Desta forma procurar-se-á divulgar inúmeras notícias positivas, como a apresentação de casos de sucesso que resultaram em benefícios recíprocos para o homem e para a natureza por meio do estabelecimento de relações mais harmônicas.

5.4 Metas

A seguir estão descritas (não nesta ordem) as metas estabelecidas para um período de dez meses. Cada meta corresponde à medida essencial para cumprir com os objetivos propostos e para monitorar e avaliar as atividades desenvolvidas e mensurar os resultados obtidos.
Meta 1 - Ministrar duas palestras para 20 pessoas, com duração de 30 minutos;
Meta 2 - Apresentar uma peça teatral, com duração de cerca de 30 minutos para 20 crianças na faixa etária de 05 a 12 anos, enfocando a questão ambiental;
Meta 3 - Promover uma gincana “esportivo-ambiental” para 20 alunos com idade a partir dos 05 anos.
Meta 4 - Distribuir 12 cartazes (1 a cada 15 dias) informando sobre diversas questões ambientais como, por exemplo, a enorme variedade de organismos vivos existentes na Terra e sua importância particular no ecossistema global; a relação existente entre determinada atividade humana e toda a cadeia de recursos naturais necessários para que tal atividade possa ser realizada, etc.
Meta 5 - Distribuir 50 cartilhas que explicam sobre as principais necessidades humanas indispensáveis para que cada pessoa tenha uma qualidade de vida confortável, informando também dados do Brasil e de outros países que demonstram que nem todo mundo tem as mesmas condições de vida e que, por isso, devemos dar valor ao que conquistamos.
Meta 6 - Divulgar mensalmente: notícias, reportagens ou artigo (como, por exemplo, a apresentação de casos de sucesso de determinada solução ambiental) atualizados de 05 temas ambientais que estejam refletindo na diminuição ou melhoria da qualidade de vida das pessoas.
Meta 7 - Promover 05 debates, cada um enfocando um tema ambiental (meta anterior) e contando com a presença de até 20 alunos, professores e/ou funcionários.
Meta 8 - Realizar 06 dinâmicas de sensibilização, uma em cada mês, com 05 crianças, 05 jovens e 10 adultos (alunos, professores e funcionários).
Meta 9 - Fixar cartazes em locais estratégicos indicando que atitudes devem ser tomadas em determinadas situações como, por exemplo: “Evite o desperdício de água”, nos banheiros; “Separe o lixo reciclável”, próximo de lixeiras e outros explicando os benefícios oriundos destas ações.
Meta 10 - De acordo com datas comemorativas do calendário, especialmente as de cunho ecológico, fixar cartazes apresentando cada data e informações sobre elas. Difundir frases sensibilizadoras ao longo de cada mês;
Meta 11 - Divulgar os principais resultados alcançados pelo projeto, tanto na própria academia como em meios externos (mídia), sendo uma forma de incentivo à participação contínua de todos os alunos;
Meta 12 - Desenvolver um espaço de Educação Ambiental na página de Internet da academia, onde cada aluno poderá contribuir na sua construção. Informações básicas sobre as temáticas ambientais, divulgação de eventos externos relacionados à área ambiental e esportiva, troca de experiências entre alunos, professores e funcionários e referências (bibliográficas e da Internet) para aprofundamento dos temas são alguns dos itens que irão compor esta página.

5.5 Recursos
  • Recursos Humanos
Para a execução das atividades do projeto serão necessários:
- 1 Coordenador-geral
- 1 responsável técnico
- 2 auxiliares técnicos / voluntários
- 1 palestrante
  • Recursos Materiais
A seguir estão listados todos os recursos materiais previstos para a execução do projeto, de acordo com a finalidade:
1. Elaboração de cartazes: cartolina branca (50 unidades); cartolina colorida (50 unidades - cores variadas); lápis preto (10 unidades); régua (05 unidades); estilete (02 unidades); caneta hidrográfica colorida (05 conjuntos); tesoura (02 unidades); cola branca (05 unidades); estojo de lápis de cor colorido (05 unidades); fita-crepe (05 unidades); apontador de lápis (03 unidades); caixa com alfinetes/tachinhas (02 unidades); quadro de aviso (cortiça ou e.v.a) (05 unidades)
2. Palestras, Oficinas e outras atividades: papel branco tamanho A4 (2 pacotes de 500 unidades); caneta esferográfica azul (10 unidades); caneta esferográfica preta (10 unidades); caneta esferográfica vermelha (10 unidades); borracha branca (05 unidades); corretivo líquido (05 unidades); blocos de anotação 15 folhas (50 unidades); caderno pequeno 50 folhas (3 unidades); lousa verde (01 unidade); caixa de giz para lousa branco (01 unidade); caixa de giz para lousa colorido (01 unidade); prancheta (05 unidades); transparência manual (20 unidades); transparência para copiadora (30 unidades); caneta retro projetor preta (02 unidades); caneta retro projetor vermelha (02 unidades); caneta retro projetor azul (02 unidades); massa para modelar colorida (10 caixas); tinta pintura a dedo colorida (10 caixas); luvas descartáveis (01 caixa com 50 unidades).
3. Outros recursos: revelação para fotos das atividades (120 unidades); disquete (10 unidades); CD-R (20 unidades); CD-RW (2 unidades); pasta com elástico de plástico (05 unidades); fichário (01 unidade); plásticos para fichário (50 unidades); etiqueta adesiva branca (30 unidades); grampeador (01 unidade); caixa de grampo para grampeador (01 unidade); caixa de clipes (01 unidade); cartucho para impressora preto (02 unidades); cartucho para impressora colorido (02 unidades); crachá (5 unidades); faixa de mensagem (03 unidades); barbante (2 unidades); estojo para lápis (2 unidades) ; sacos plásticos para lixo cor azul (05 pacotes com 50 unidades).

5.6 Orçamento

Custos previstos para o primeiro período de execução do projeto (10 meses).

Recursos Valor (R$)
Humanos 4.300
Materiais 1.600
Total 5.900

5.7 Cronograma

Ação Meses / Trimestre

1º 2º 3º 4º
Elaboração do Projeto
Busca de Parceiros
Planejamento das atividades junto aos parceiros
Formação e capacitação da equipe executora
Diagnóstico Sócio-Ambiental
Meta 1
Meta 2
Meta 3
Meta 4
Meta 5
Meta 6
Meta 7
Meta 8
Meta 9
Meta 10
Meta 11
Meta 12
Avaliação do projeto

6. REFERENCIAL TEÓRICO

Esta breve apresentação que segue irá oferecer ao leitor uma oportunidade de conhecer a teoria básica do projeto e ter acesso às principais informações que serão transmitidas. O referencial teórico é de extrema importância, pois é a partir dele que os resultados esperados poderão ser alcançados, uma vez que se trata de um projeto de Educação Ambiental. Porém, optou-se por descrevê-lo como último item deste documento para deixá-lo livre na escolha do momento mais oportuno para esta leitura.

A degradação do meio ambiente é causada especialmente por comportamentos inconseqüentes, ingênuos ou negligentes das pessoas, refletindo em conseqüências também a elas mesmas, uma vez que tudo o que existe na sociedade humana foi produzido a partir de recursos naturais. Se acontecer de um ou outro recurso não estar mais disponível na natureza, muitas atividades humanas estarão comprometidas, inclusive oferecendo um risco ainda maior se tratar de um recurso vital, como a água.
O artigo 225 da Constituição da República de 1988 declara bravamente: “todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida”. Lamentavelmente este direito não está sendo respeitado. Primeiro por que as condições em que o meio ambiente se encontra atualmente não chegam nem próximo deste equilíbrio preconizado por esta Lei. Segundo, por que os recursos do meio não são acessíveis proporcionalmente a todo o “povo”, gerando também um desequilíbrio social.
Para que este direito possa ser efetivamente conquistado deverá haver consenso geral de toda a população, inclusive e principalmente entre seus líderes e representantes, de que este equilíbrio ecológico é indispensável para a sadia qualidade de vida e não somente essencial. Esta consciência, porém, depende da conquista de outro direito, o da Educação para todos.
Recentemente – mais precisamente no ano 2000 – a ONU (Organização das Nações Unidas) aprovou na Declaração do Milênio os ODMs – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, simpaticamente denominados “8 jeitos de mudar o mundo”. São metas a serem cumpridas por todos os países signatários até 2015 para promover a sobrevivência humana a longo prazo, ou seja, sua sustentabilidade. Dentre estas metas estão justamente a “Educação Básica de Qualidade para Todos” e o “Respeito ao Meio Ambiente”.
Novamente a realidade entra em conflito com o que foi determinado. 7 anos se passaram e as ameaças à vida no planeta aparentemente estão aumentando. Ações concretas dos governos e da sociedade deveriam estar ocorrendo a todo vapor, com entusiasmo e otimismo. Mas poucas iniciativas têm surtido efeitos significativos. A velocidade e a intensidade das transformações causadas no ambiente pelo homem são quase que incontroláveis. É preciso um esforço conjunto e uma mudança radical nos padrões de vida da sociedade moderna, especialmente no consumo de bens materiais e na ideologia sobre qualidade de vida.
O conceito sobre qualidade de vida é um tanto polêmico. Devido à existência destes padrões que foram sendo estabelecidos na sociedade ocidental, qualidade de vida pode ser definido como “um estado em que todas ou grande parte das necessidades humanas são alcançadas: saúde; alimentação; água; educação; moradia; segurança; saneamento básico; vestuário; transporte; trabalho; cultura; lazer”. Desconsiderando o modo de vida de inúmeras culturas, este conceito é bastante aceito. O erro está na maneira, ou seja, na qualidade e na quantidade em que estas necessidades são desejadas. Muitas pessoas lutam entre si não apenas pela sobrevivência natural de sua espécie, mas por outros ideais, notadamente poder, dinheiro, bens materiais, beleza e conforto excessivos. Assim, este modelo de sociedade está se auto-destruindo pois está acabando com a única fonte de recursos necessários à sua sobrevivência: o meio ambiente.
Qualidade de vida, portanto, depende da qualidade do meio em que vivemos, seja ele natural – florestas, oceanos, campos etc. – ou “artificial”, ou seja, aquele criado pelo homem – as cidades. Existe quantidade suficiente de recursos para todos os homens, mas uns usufruem mais do que outros, deixando estes últimos com quase nada.
Voltemos a falar sobre o direito mencionado no artigo 225 da Constituição. Assim como este, outros direitos não se compram ou são adquiridos, eles devem ser conquistados. O poder aquisitivo de alguns não os faz ter mais direito que outros. Mas, infelizmente, na sociedade humana, o dinheiro torna-os capazes de comprar mais recursos e satisfazer melhor as suas necessidades do que aqueles que têm pouco ou nenhum. Porém, estas pessoas devem ter em mente que um dia seu dinheiro não vai ser suficiente para comprar outro mundo para se viver.
Ter direitos implica também em exercer deveres. Não se pode atribuir responsabilidades somente a outrem. Vivemos em sociedade e inseridos em um meio que, não fosse as habilidades que o homem conquistou durante sua evolução, estaríamos sujeito às suas leis mais elementares. Estamos conectados uns aos outros e a todos os componentes do ambiente de uma forma muito intensa. Não podemos esquecer disto. Tudo o que fazemos reflete no próximo e, algum dia, refletirá em nós mesmos. A recíproca também é verdadeira: tudo o que deixamos de fazer impede a mudança, pois nada melhora sozinho, todos devem contribuir.
Não são somente os deveres estipulados por lei que devem ser cumpridos, mas também todos aqueles indispensáveis para que possamos viver em sociedade, os chamados princípios éticos. E quando se fala em ética, deve-se pensar principalmente em pessoas conscientes e responsáveis por seus atos, inclusive em relação às questões ambientais. Sem isso, é impossível criar uma sociedade justa, fraterna e ecologicamente equilibrada.
O conhecimento é fundamental para formar cidadãos éticos. Muitas pessoas fazem errado por que não sabem qual é o certo a fazer. Conforme já citado, o acesso à informação é muito limitado. A mídia, principalmente a TV e os jornais impressos, oferecem algumas matérias e programas que tratam destas questões, mas a maioria das pessoas não se interessa muito e não dá a devida atenção às informações divulgadas. Por outro lado, algumas informações são apresentadas de forma distorcida, inadequada ou insuficiente, não permitindo que uma consciência individual e coletiva seja desenvolvida.
Muitas pessoas até sabem dos problemas ambientais e se preocupam com o futuro, mas não fazem nada para contribuir efetivamente. Quando existem campanhas, por exemplo, elas até aderem às causas, mas depois de algum tempo esquecem. Provavelmente as campanhas não atingiram profundamente a consciência das pessoas, ou seja, talvez em algum ponto elas perceberam que deveriam contribuir, mas não sentiram a real necessidade de se engajarem para sempre nesta ou naquela questão, não se comoveram com o problema todo.
A Educação Ambiental é um instrumento fundamental para a mudança de valores e práticas sociais. Ela é capaz de incorporar inúmeros conceitos de forma transdisciplinar, isto é, envolvendo todas as áreas do conhecimento. A Eco-pedagogia, como também pode ser chamada, permite transformar o ponto de vista das pessoas, auxiliando-as a desenvolverem uma melhor concepção sobre meio ambiente e levá-las a ajustarem suas relações com a natureza e com a sociedade, agindo de acordo com os pressupostos da ecologia e da cidadania.
Assim como outras áreas da Educação, a Educação Ambiental deverá ser mais valorizada e praticada em todos os setores da sociedade. É com ela que iremos instituir a tão sonhada sustentabilidade.